Recent

Vereador é flagrado cheirando calcinha durante sessão

O vereador de Bragança Paulista Ditinho do Asilo (PSC) foi flagrado cheirando uma calcinha durante sessão legislativa virtual da Câmara Municipal na última terça-feira (23), por isso, pode perder o cargo. O vídeo, que tomou as redes sociais nesta quinta-feira, (25) mostra o parlamentar manuseando a calcinha enquanto a vereadora Fabiana Alessandri comenta sobre cortes de árvores na cidade.
As sessões legislativas em Bragança Paulista estão acontecendo virtualmente em razão da pandemia do novo coronavírus.

O vereador relatou ao G1, que foi uma infelicidade e que estava em seu gabinete quando recebeu um pacote enviado por um amigo. Ditinho conta que chegou a desativar o microfone da chamada, para ver o que havia ganho, pensando que o vídeo também seria desativado automaticamente, o parlamentar cheirou a calcinha.

Outro vereador ainda tenta alertar, mas pouco depois, ele percebe que está sendo filmado e afasta a câmera.

"Foi uma infelicidade pela minha falta de prática com essa coisa de tecnologia. Eu usava uma camiseta rosa e, para brincar, um amigo me mandou essa calcinha. Era um item desses de sexy shop, que é comestível. Por isso cheirei. Eu tenho família. Isso era só uma piada que, por ingenuidade minha, virou pública", comentou Ditinho, que é casado e tem filhos.

O vereador Ditinho do Asilo, que é da base do prefeito Jesus Chedid (DEM), no entanto, não teme perder o cargo. "Os nobres pares dessa casa sabem da minha conduta. Eles têm consciência de que não fiz isso aqui para me promover", disse ao jornal O Estado de S. Paulo.

"Achei que tinha desligado a minha câmera e meu microfone, mas não procedi corretamente, ficando a câmera aberta. Tratava-se de uma brincadeira e dentro do embrulho havia uma calcinha comprada em sex-shop, muito perfumada. Só peguei a peça íntima porque acreditava que a câmera estava desligada", explicou.

Vereadores da cidade ouvidos pelo jornal O Estado de S. Paulo aguardam o posicionamento oficial da presidente da casa, Beth Chedid (DEM), mas afirmaram que, caso não seja tomada uma posição coletiva, devem encaminhar a questão ao Conselho de Ética.

"Eu busco hoje uma representação feita por vários vereadores. Caso eu não consiga, vou buscar sozinho", disse à reportagem o vereador Quique Brown (PV). "Eu não vou passar pano para essa história. Você pegar um objeto de fetiche e fazer isso enquanto uma mulher está falando é asqueroso."

Nota emitida Câmara diz que a Casa está analisando as imagens e estuda as medidas que podem ser tomadas. De acordo com o regimento da Câmara bragantina, "proceder de modo incompatível com a dignidade da Câmara ou faltar com o decoro na sua conduta pública" é conduta passível de cassação de mandato.

O vereador Basílio Zecchini (PSB), que também é advogado, entende que o ato do colega configura quebra de decoro.

"Vou propor alterações no regimento para garantir o decoro durante a realização das sessões online, regulamentando a postura que cada vereador deve manter durante as sessões virtuais da Câmara Municipal. Algo que era para ser óbvio, mas que ficou claro não ser", afirmou Zecchini.

Nenhum comentário