Recent

Operação policial prende acusados de homicídios e estupro em Delmiro Gouveia-AL


Uma operação da Polícia Civil realizada nesta quinta-feira (16), em Delmiro Gouveia, no Sertão de Alagoas, prendeu três homens, dois por crimes de homicídio qualificado e um por delito de estupro contra vulnerável.

O trabalho foi desenvolvido pela Gerência da 4ª Região e pela 1ª Delegacia Regional de Delmiro Gouveia, sob a coordenação dos delegados Carlos Reis e Daniel Mayer, após trabalhos de parceria investigativa e de monitoramento de criminosos

O homem de 38 anos, era suspeito de estupro de vulnerável. Crime que teve como vítima uma criança deficiente, com 10 anos de idade. “Ele foi preso em decorrência das avançadas investigações em Inquérito Policial autuado para apurar os fatos que supostamente ocorreram no dia 03 de junho de 2020, em Delmiro Gouveia”, disse o delegado Regional.

Já o suspeito de 47 anos, recebeu voz de prisão enquanto saía de sua residência. Ele estava foragido há 23 anos. O crime ocorreu em uma mesa de bar, no dia 3 de outubro de 1996, em Tacaratu-PE, enquanto bebiam, pois, a vítima e o suspeito eram compadres.

A prisão foi consumada em razão dos trabalhos do Chefe da Delegacia Municipal de Delmiro Gouveia Eduardo Prado, que localizou o foragido do Poder Judiciário de Pernambuco no Alto Sertão e deu cumprimento à ordem judicial junto com equipe da 1a DRP.

A terceira prisão se deu em razão de homicídio qualificado que vitimou Maria de Lourdes dos Santos, crime que ocorreu em 13 de março de 2009, em Delmiro Gouveia-AL. “O crime ocorreu no bairro Novo, em plena via pública quando o suspeito, hoje com 76 anos, atacou a vítima e desferiu 11 golpes de faca que ceifaram sua vida”, destacou o delegado Daniel Mayer.

Após o crime, o suspeito evadiu-se e ficou escondido por 11 anos no município de Ipiaú-BA, quando foi localizado pelo serviço de inteligência da 1a Delegacia Regional de Delmiro Gouveia, chefiado pelo Agente Cyro Jorge, tendo sido preso e custodiado enquanto aguarda transferência para o sistema prisional alagoano.

Nenhum comentário