Recent

Vereador suspeito de atropelar e matar motociclistas recebe liberdade provisória

O vereador Pedro Marconi de Souza Barros (PTC), de Brejo da Madre de Deus, passou por audiência de custódia na tarde desta segunda-feira (24), em Palmares, na Mata Sul. A decisão judicial foi de que ele responderá pelos crimes em liberdade provisória sem fiança. O vereador foi autuado por homicídio culposo e lesão corporal culposa por suspeita de colidir com um grupo de motociclistas na rodovia PE-96 em Água Preta, na Mata Sul de Pernambuco.

Por meio de nota, o Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE), a decisão foi tomada diante do parecer favorável do Ministério Público do estado (MPPE).

 

Segundo a delegada que estava de plantão no domingo (23), Juliana Bernat, a equipe foi ao local do acidente junto com o Instituto Criminalística (IC), que é o órgão responsável pelas perícias. Ainda de acordo com a delegada, o vereador falou durante o depoimento que no momento do acidente sofreu um apagão.


"Ele falou que estava em velocidade plausível com a rodovia e não estava fazendo ultrapassagem arriscada. Ele disse que vinha normal e de repente teve um apagão, quando percebeu já teve a batida. Ele alega que não viu nada", afirmou a delegada.


A delegada explicou também que a autuação dos crimes de homicídio culposo e lesão corporal culposa ainda não é definitiva. Ao longo da investigação será verificado se algum motociclista também teve alguma culpa no acidente. Juliana Bernat e o IC têm até 30 dias para concluir o inquérito. E ao fim da investigação, junto com as perícias, o delegado de Água Preta vai decidir por quais crimes o vereador será indiciado.

A produção da TV Asa Branca entrou em contato com a família e com o advogado do vereador Pedro Marconi de Souza Barros (PTC), mas eles informaram que não vão se pronunciar sobre o caso.

 

O que diz o TJPE?

Por meio da assessoria de comunicação, o Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) explicou que a decisão considera que "o autuado deverá responder ao processo em liberdade, ante a ausência dos requisitos da prisão preventiva, por se tratar de delitos culposos". O TJPE ressaltou que a lei não permite, em princípio, a prisão preventiva para delitos culposos.

 

De acordo com a decisão, "apesar da gravidade do acidente e da imprudência do motorista, eventual conversão da prisão em flagrante em preventiva incorreria em manifesta ilegalidade".

 

Na audiência de custódia foi determinada a aplicação das seguintes medidas cautelares, conforme informou o Tribunal de Justiça:

·        Comparecimento mensal em juízo para informar e justificar suas atividades;

·        Proibição de ausentar-se da comarca em que reside, por mais de sete dias, sem autorização judicial;

·        Suspensão da carteira Nacional de Habilitação (CNH).

·         

Entenda o caso 

Um grave acidente deixou três mortos e cinco feridos no domingo (23) na PE-96, em Água Preta, Mata Sul de Pernambuco. De acordo com o Corpo de Bombeiros, uma caminhonete colidiu em um grupo de cerca de 30 motociclistas. Integrantes do plantão policial da Delegacia de Polícia Civil de Palmares, na mesma região, foram até o local, assim como peritos do Instituto de Criminalística.

 

Ainda segundo os bombeiros, o motorista da caminhonete atingiu o grupo frontalmente na rodovia. O G1 conversou por telefone com a delegada de plantão, Juliana Bernat, que confirmou que o condutor da caminhonete foi levado para a delegacia. A delegada informou ainda que duas das vítimas eram de Paulista e duas de Maceió (AL).

 

Quatro dos cinco feridos foram levados para o Hospital Regional de Palmares. De acordo com a assessoria de imprensa da unidade, um homem de 44 anos está em observação e será transferido para o Hospital Getúlio Vargas, no Recife; duas mulheres, de 23 e 41 anos foram transferidas para o Hospital da Restauração, também no Recife; um homem de 25 anos continua em Palmares e vai passar por cirurgia. O estado de saúde do quinto ferido não foi informado.

Nenhum comentário