Publicidade

ANUNCIANTES

Companheira de Paulinho, do Roupa Nova, briga na Justiça por herança do músico

Juntos por 16 anos, a advogada Elaine Soares Bastos passou pela dor da perda ao se despedir do músico Paulinho. O vocalista do grupo Roupa Nova faleceu após complicações causadas pela Covid-19, há pouco mais de um mês. Agora, ela entra na Justiça para exigir seus direitos em relação à herança do artista.

LEIA TAMBÉM: Amigos teriam confirmado namoro de Bruna Marquezine e Enzo Celulari

Em entrevista à revista Quem, Elaine Soares afirmou que não foi incluída no invetário dos bens de Paulinho. Ela solicita o reconhecimento de uma união estável com o cantor.

“Soube que eles [os filhos de Paulinho] abriram o inventário logo depois da morte do pai, no dia 16 de dezembro (…); e não me incluíram. Desde o início, queria fazer tudo de forma consensual, não queriam nem quero, briga nem confusão”, conta. “A vida do Paulinho era eu e ele era minha vida. Ele era totalmente dependente emocionalmente de mim e eu dele.”

Ainda segundo a companheira, ela é declarada como dependente de Paulinho no Imposto de Renda desde 2006. Elaine, inclusive, já deu entrada no processo do INSS para receber a pensão. A advogada se diz surpresa e abalada com a exclusão de participar do inventário.

LEIA TAMBÉM: Duda Reis comenta áudio vazado: “Está tentando reverter a situação”

“A maior preocupação dele era como ia ficar o meu padrão de vida, ele queria montar algo para mim. (…) Estou vivendo o meu luto. Só saio de casa para ir ao psiquiatra e volto”, declarou.

Filhos dão outra versão

Filha e herdeira de Paulinho, Twigg de Souza Santos, negou as acusações. “Meu irmão e eu abrimos o inventário do meu pai porque somos herdeiros legítimos. (…) Nós abrimos o inventário como qualquer filho faria, independente do que o pai faz”; defendeu, em conversa com a Quem.

Nenhum comentário