Publicidade

ANUNCIANTES

FHC após almoço com Lula: “PSDB deve ter candidato, e o apoiarei”


O ex-presidente da República Fernando Henrique Cardoso (PSDB) foi ao Twitter, no início da tarde desta sexta-feira (21/5), para tentar evitar que os tucanos se ericem com a notícia de que ele e o sucessor no Planalto, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), almoçaram juntos no apartamento do ex-ministro Nelson Jobim, em São Paulo, no dia 12 de maio.

O grão-tucano sabe que a notícia, postada por Lula no Twitter pela manhã, com uma foto dos dois antigos rivais juntos, ambos de máscara, trocando um cumprimento de punhos fechados, pode irritar profundamente o governador de São Paulo, João Doria, que trabalha para ser o candidato do partido ao Planalto no ano que vem.

Entenda

Os ex-presidentes Lula e FHC participaram de um almoço, marcado a convite de Nelson Jobim, ex-ministro dos dois líderes. O encontro ocorreu no apartamento de Jobim, na capital paulista, no último dia 12 de maio.

Jobim foi ministro da Justiça no primeiro mandato de FHC entre 1995 e 1997, membro do Supremo Tribunal Federal (STF) e titular da Defesa nos governos Lula e Dilma, entre 2007 e 2011. “A convite do ex-ministro Nelson Jobim, o ex-presidente Lula e o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso se reuniram para um almoço com muita democracia no cardápio”, publicou a página oficial de Lula no Twitter.

Em outra publicação, o perfil do petista informou que os ex-presidentes, que são antigos adversários políticos, tiveram uma “longa conversa sobre o Brasil”. Críticas à gestão de Jair Bolsonaro (sem partido) durante a pandemia de Covid-19 também foram pauta da conversa.

“Os ex-presidentes tiveram uma longa conversa sobre o Brasil, sobre nossa democracia, e o descaso do governo Bolsonaro no enfrentamento da pandemia”, publicou a página de Lula. Veja.

Elogios

Na última quarta-feira (19/5), Lula elogiou o antigo adversário e disse que ambos “sempre tiveram uma disputa civilizada”. Os comentários foram feitos após FHC afirmar, em entrevista ao programa Conversa Com Bial, na dia anterior, terça-feira (18/5), que votaria no petista em uma disputa contra Jair Bolsonaro.

A troca de afagos, portanto, começou seis dias depois do encontro entre os dois ex-presidentes.

Na resposta ao elogio, o petista avaliou FHC como um “intelectual” e disse que também votaria no político em uma disputa contra Bolsonaro. “Ele me conhece bem, conhece o Bolsonaro. Fico feliz que ele tenha dito que votaria em mim e eu faria o mesmo se fosse o contrário. Ele sempre foi um intelectual e sabe que não dá pra inventar uma candidatura”.

Jobim transita muito bem entre partidos de todas as vertentes e, como ex-ministro da Defesa, tem ótima interlocução com militares. Ex-deputado federal constituinte pelo então PMDB (hoje MDB), o jurista hoje é presidente do Conselho de Administração do banco BTG Pactual.

Desde que deixou o governo Lula, Nelson Jobim tem sido insistentemente procurado para exercer cargo público novamente – foi sondado inclusive para se candidatar ao Planalto.

Nenhum comentário