Barreiras, Luís Eduardo Magalhães e São Desidério estão entre os municípios agrícolas mais ricos do Brasil

MAIS NOTÍCIAS:

O modelo de grandes propriedades agrícolas mecanizadas favorece a concentração de renda - um dos principais problemas do Brasil -, enquanto também acaba movimentando a economia local, gerando empregos.
 
"A agricultura hoje proporciona salários bons, isso começa a se divulgar, e buscam a região para trabalho", avalia Franciosi, que tem fazendas e concessionárias de maquinário agrícola. 

Um dos pioneiros da região na década de 1980, o presidente da Associação Baiana dos Produtores de Algodão (Abapa), Luiz Carlos Bergamaschi, atribui o desenvolvimento do agro a um processo de adaptação e investimento em tecnologia para elevar produtividade:

"As pessoas se adaptaram, e com a natureza você não duela, você vive em harmonia. Usamos muita tecnologia, porque é o que salva, é como otimizamos a agricultura", afirma. Por outro lado, o diretor-presidente do Grupo Sertaneja, Antônio Balbino de Carvalho Neto, opina que a desigualdade está aumentando.

À frente de um grupo de empresas em setores diferentes, da pecuária aos imóveis, ele observa um movimento de venda de terrenos e imóveis por pessoas que perderam renda na pandemia e não tinham reservas.

Já Arthur Bragança, coordenador de Avaliação de Política Pública, Agricultura Sustentável e Infraestrutura da Climate Policy Iniciative (CPI), afirma que a produção, principalmente de soja, é o motor do desenvolvimento na região, gerando a expansão do PIB do setor de serviços. Contudo, pondera que distribuir essa riqueza é um desafio.

"A grande dificuldade é transformar a riqueza da soja, em que os produtores são capitalizados, e criar um desenvolvimento local mais amplo. Nas localidades que se beneficiam da expansão da soja não há observação de melhoria de indicadores educacionais e de saneamento, por exemplo", destaca.

Infraestrutura

A reportagem salienta que, pesar de todo o dinheiro que o agronegócio trouxe para o Oeste da Bahia, essa riqueza não é observada na mesma proporção nas cidades da região e ainda existem muitos "gargalos de infraestrutura" em comparação com outras "bolhas de prosperidade" do agronegócio no Brasil.

Alguns dos problemas mais relatados pelos produtores dizem respeito a qualidade das estradas, bem como dos sinais de telefonia e internet ruins, além de deficiências na distribuição de energia elétrica. 

Eles têm se unido para promover obras de melhoramento por conta própria, e o presidente da Associação Baiana dos Produtores de Algodão (Abapa), Luiz Carlos Bergamaschi, avalia que esta vem sendo a saída para suprir carências logísticas para escoar a produção.

A principal iniciativa do grupo é a abertura e pavimentação de estradas vicinais. Já foram 140 quilômetros bancados por eles e há mais 700 quilômetros nos planos, mas a região tem sete mil quilômetros de vias precárias. 

Agora, 27 quilômetros receberão asfalto na chamada rodovia São Sebastião, que dá acesso a fazendas que produzem 150 mil toneladas de grãos e fibras por ano.

Procurada pela reportagem para comentar o assunto, o governo da Bahia, por meio de nota, afirmou que há um processo de licitação em curso para a recuperação de mais de 330 quilômetros de rodovias estaduais no oeste baiano.

Já esses serviços nas estradas vicinais contam com a participação indireta do estado, que renunciou ao ICMS sobre produtos agrícolas industrializados, argumentou o governo.

Em vez de recolher o tributo por meio da secretaria de Fazenda, os recursos são dirigidos ao Prodeagro, um fundo “criado para realizar benfeitorias nas áreas de infraestrutura e pesquisa agropecuária, com vistas à melhoria da produtividade”. A distribuição de energia elétrica, por sua vez, registras quedas constantes por não suportar a alta demanda.

A ampliação das redes de distribuição depende de obras do estado. Sem elas, produtores estão investindo em energia solar fotovoltaica, que supre parte do consumo das propriedades. 

Sobre a questão, a secretaria de Infraestrutura da Bahia diz que a rede básica está em expansão, com início de operação de linhas de transmissão e leilões para construção de mais linhas e estudos junto à Empresa de Pesquisa Energética para expansão do sistema no Matopiba.

Já moradores da zona rural reclamam que, além dos problemas compartilhados com os produtores, precisam conviver com a necessidade de percorrer grandes distâncias para ter acesso a serviços básicos. 

O jornal cita como exemplo o distrito de Roda Velha, que abarca a maior parte das fazendas de São Desidério. Embora seja o que mais contribui para o PIB agrícola da região, é descrito no texto como um lugar que parece ter sido esquecido no tempo. 

Cerca de 8,5 mil pessoas vivem em Roda Velha e esta população, para realizar exames médicos e ir ao  hospital, por exemplo, precisa ir até a sede do município de São Desidério, a 130 quilômetros. Também precisam se deslocar até lá para ir ao banco, o que prejudica o comércio local. Há empregos, mas faltam profissionais preparados para ocupar as vagas.

"O benefício desse dinheiro do agronegócio aqui é pouco. A renda vai para lá [a sede do município], e aqui não tem investimento, nem emprego", queixa-se a vendedora Maria Luciana Reis, de 33 anos.

>Siga o CONEXÃO VERDADE no InstagramTwitter e pelo Facebook

VOCÊ REPÓRTER$type=complex$count=6

Presenciou um fato importante que merece virar notícia? Tem um vídeo ou uma foto? A sua sugestão ou denúncia pode virar uma matéria no Conexão Verdade.com. Envie para o nosso WhatsApp (81) 98107-4700.
Nome

Adustina,15,Alagoas,81,Alagoinhas,7,Antas,4,Anuncie Aqui,1,Arapiraca,4,Augusta Diniz,2,Bahia,63,Brasil,212,Caderno Cultural.,2,Caruaru,2,Ceará,11,Cel João Sá,13,Cícero Dantas,7,Concursos,41,Contato,1,Cotidiano- São Paulo.,2,Delmiro Gouveia,3,Economia,133,Educação,40,Eleições 2020,45,Eleições 2022,12,Entreteniment,1,Entretenimento,290,Esporte,188,Euclides da Cunha,10,Fátima,3,Feira de Santana,6,Geral,4,Goiás,3,Interior da Bahia,219,Itabaiana,9,Jeremoabo,47,Juazeiro,5,Justiça,232,Lagarto,10,Maranhão,3,Maringá,1,Minas Gerais,18,Mundo,4,Notícias,125,Paraíba,13,Paraná,1,Paulo Afonso,41,Pernambuco,163,Petrolina,17,Piauí,7,Polícia,250,Política,368,Quem Somos,1,RÁDIOS,1,Regional,168,Religião,6,Ribeira do Pombal,20,Santa Brígida,1,São Paulo - Brasil. Utilidade Publica,1,São Paulo. Utilidade Pública,1,Saúde,31,Sergipe,171,Serra Talhada,8,Simão Dias,2,Últimas Notícias,190,Vitória da Conquista,4,
ltr
item
REDE CONEXÃO VERDADE - O portal de Notícias Líder em Pernambuco: Barreiras, Luís Eduardo Magalhães e São Desidério estão entre os municípios agrícolas mais ricos do Brasil
Barreiras, Luís Eduardo Magalhães e São Desidério estão entre os municípios agrícolas mais ricos do Brasil
https://1.bp.blogspot.com/-KfVX-Q1W1rs/YP6hdmTjyZI/AAAAAAAAARA/sIpoJyaWuBIdB5vjcwk1pD0r6_QtllyywCNcBGAsYHQ/s16000/agri.jpg
https://1.bp.blogspot.com/-KfVX-Q1W1rs/YP6hdmTjyZI/AAAAAAAAARA/sIpoJyaWuBIdB5vjcwk1pD0r6_QtllyywCNcBGAsYHQ/s72-c/agri.jpg
REDE CONEXÃO VERDADE - O portal de Notícias Líder em Pernambuco
https://www.conexaoverdade.com/2021/07/barreiras-luis-eduardo-magalhaes-e-sao.html
https://www.conexaoverdade.com/
https://www.conexaoverdade.com/
https://www.conexaoverdade.com/2021/07/barreiras-luis-eduardo-magalhaes-e-sao.html
true
6964906002310646831
UTF-8
Carregar todas as matérias Nenhum resultado encontrado. LEIA MAIS Leia mais Responder Cancelar resposta Apagar Por Início Páginas Matérias Ver todas Veja também Tópico Arquivo Busca Todas as matérias Nenhum resultado encontrado para sua busca Voltar ao início Domingo Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sábado Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Janeiro Fevereiro Março Abril Mai Junho Julho Agosto Setembro Outubro Novembro Dezembro Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Agora mesmo Há 1 minuto Há $$1$$ minutos Há 1 hora Há $$1$$ horas Ontem Há $$1$$ dias Há $$1$$ semanas Há mais de 5 semanas Seguidores Siga ESTE CONTEÚDO PREMIUM ESTÁ BLOQUEADO PASSO 1: Compartilhe em uma rede social PASSO 2: Clique no link da sua rede social Copiar todo o código Selecionar todo o código Todos os códigos foram copiados para a área de transferência Não é possível copiar os códigos / textos, por favor, pressione [CTRL] + [C] (ou CMD + C com Mac) para copiar Table of Content