Publicidade

ANUNCIANTES

Desmorona a versão de Joice Hasselmann sobre agressão e polícia não descarta que marido possa ter agredido Deputada

A Polícia Legislativa não descartou que o marido de Joice Hasselmann, o neurocirurgião Daniel França, tenha agredido a deputada. Não há nenhum elemento que aponte a culpa do médico, tampouco nada que claramente diga ser impossível esta tese.

Joice e França negam peremptoriamente esta hipótese. De fato, os policiais observaram que não havia nenhum sinal nas mãos de França de que ele a teria agredido. Ele diz que não teria ouvido nada da agressão porque estava em outro quarto e teria o hábito de roncar alto.

Os policiais, entretanto, consideram que os prováveis gritos da deputada, em um ataque, poderiam ainda assim ser ouvidos de outro quarto. E também consideram estranha a demora de Joice e do marido para registrar a ocorrência. O ataque teria sido na madrugada de sábado para domingo (18/07), mas o caso só veio à tona na quinta-feira (22/07).

O exame das 16 câmeras e os seguranças do prédio onde a deputada Joice Hasselmann (PSL-SP) mora, em Brasília, desmentem sua versão de que o apartamento teria sido invadido por agressores que a deixaram com cinco fraturas no rosto, cortes e dois dentes a menos. Nenhum estranho saiu ou entrou no apartamento nos dias em que a agressão se deu. Nem a deputada saiu para exames, como afirmou, em um hospital.

Das duas, uma

Restam duas linhas: a deputada foi vítima de violência doméstica ou se lesionou para ganhar manchetes ou por razões de natureza psicológica.

A cena do crime

O delegado Miguel Lucena, do DF, deu sua opinião profissional a esta coluna, sábado (24): a investigação deveria começar dentro da casa.

Há gente assim

Lucena lembrou ontem da investigação que fez em 2015, na 3ª DP do DF, de um homem que até deu tiro no próprio pé, simulando “atentados”.

Agora vai

Agora que a Polícia Civil do DF entrou no caso Joice Hasselmann, o jogo mudará em definitivo, ainda que seus peritos tenham sido acionados dez dias depois, com a cena do crime “contaminada” ou desfeita.

Nenhum comentário