Publicidade

ANUNCIANTES

Eduardo Costa expõe podres de Bruno e Marrone e diz que Marrone é sabotado nas gravações

A entrevista de Eduardo Costa ao canal Conceito Sertanejo segue rendendo polêmicas. Durante o bate-papo, o astro mineiro fez algumas revelações e expôs sua opinião sobre diversos assuntos – incluindo as músicas da dupla Bruno e Marrone.

Eduardo Costa acredita que Marrone é sabotado nas gravações e que elas não mostram o potencial do sertanejo. “Um dos maiores injustiçados para mim é um dos maiores segunda voz do Brasil, que se chama Marrone. Eu acho o Marrone um dos maiores, se ele fosse ruim eu falava aqui agora”, começou.

“Acho ele injustiçado, na hora da mixagem do disco, quem mixa o disco do Marrone, eu não sei quem faz isso, faz muita sacanagem com ele, diminui a voz dele”, alegou o mineiro.

O cantor opinou que Marrone “briga demais para se mostrar” ao lado de Bruno, voz principal na dupla: “O Marrone briga demais para se mostrar, eu acho uma luta muito grande, sendo que as pessoas poderiam mostrar o Marrone com muita facilidade“.E ainda completou: “Se você pegar uma música que eu gravei com Bruno e Marrone que chama ‘Você Foi Atriz’, você vai ver a segunda [voz] do Marrone na cara e o tanto que ele canta para carlh*”.

Eduardo Costa volta a criticar Leonardo após rompimento

No ano passado, Eduardo Costa e Leonardo realizaram uma live bem polêmica, e com isso, chegou ao fim a parceria dos dois em ‘Cabaré’ e também na empresa Talismã, agência de talentos do irmão de Leandro.

Agora, em entrevista Conceito Sertanejo, Eduardo falou sobre uma mágoa que sente de Leonardo, sobre lives, e também sobre o quanto gastou para produzir seus últimos lançamentos.

Ainda no bate-papo sertanejo revelou que deixou de pegar patrocínios para lives, e está pagando tudo do seu bolso. Ele contou que até o momento, já gastou mais de 4 milhões em lives e vídeos gravados. Eduardo também falou que se arrepende mais das coisas que falou na Internet nos últimos tempos do que coisas do seu passado. Ele disse que seu principal arrependimento foi ter falado de política: “Declarei meu voto ao Bolsonaro e as pessoas falavam que eu era um genocida, então disso eu me arrependo”.

Já sobre a maior polêmica, Leonardo e Talismã, Eduardo Costa negou que a live feita com Leonardo teve a ver com sua saída da Talismã. O músico ainda afirmou que sua partida estava programada há algum tempo. “Eu nunca tive negócio com Leonardo, eu sempre tive negócio com William, e aí eu fui programando essa minha saída. Quando aconteceu a live e aquela chateação toda, eu percebi que chegou o momento de eu sair, mas, não teve nada a ver com a live, nem com Leonardo. Mas se me perguntar: ‘Existe alguma chateação de você com o escritório?’, eu vou falar que existe sim, devido ao nome ‘Cabaré’. Foi um nome que eu criei, e eu não tenho nada contra nenhum artista, contra ninguém, mas eu tenho um pouco de ciúme das coisas que eu criei.”

“Não tem a ver com os personagens, nem com Leonardo, tem a ver com a marca. Eu não faria o ‘Cabaré’ com nenhum outro artista. Eu não faria, é uma questão pra mim de respeito, de hombridade, de sabedoria.” Em seguida, ele disse: “Eu não faço parte dos projetos que eu mesmo criei, eu fui tirado da minha própria casa. Eu não faço parte da cachaça ‘Cabaré’ e nem da live. Isso porque eu assinei alguns papéis para alguns amigos, pessoas que eu confiei.” Por fim, Eduardo Costa diz que não tentou entrar em contato com Leonardo após o fim da parceria.

Nenhum comentário