Publicidade

ANUNCIANTES

Mercado Produtor de Juazeiro(BA) movimenta R$ 10 milhões/dia em vendas

Acesso a mananciais, possibilidade de expansão e escoamento da produção - e em terra por onde passa um rio como o São Francisco: uma receita de sucesso.

Reconhecida como um dos principais polos da cadeia do agronegócio na Bahia, o Mercado do Produtor, em Juazeiro, acaba de atingir a marca de movimentação média de R$ 10 milhões por dia, com a comercialização de 100 milhões de quilos de produtos também diariamente. Não por um acaso, a região de Juazeiro e municípios adjacentes ainda torna a Bahia o segundo maior estado produtor de fruticultura do Brasil.

Os números são da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), conforme aponta o diretor-executivo da Autarquia Municipal de Abastecimento (AMA) de Juazeiro, Britoaldo Alves Bessa. O mercado de Juazeiro só é menor que a Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (Ceagesp) e as centrais de abastecimento (Ceasas) do Rio de Janeiro (RJ) e de Belo Horizonte (MG). No ano passado, o Mercado do Produtor de Juazeiro movimentou R$ 2,8 bilhões.

“Juazeiro tem todas as condições para, a curto prazo, ganhar mais uma posição no ranking nacional, a fim de se tornar na terceira mais importante e movimentada estrutura de entreposto do país. Temos uma área de 86 mil metros quadrados e estamos desenvolvendo projetos de ampliação. Também montamos, dentro de nossa estrutura, um setor de licitações, agilizando e dando maior segurança aos nossos processos de compra”, pontua Bessa.

Atualmente, o Mercado do Produtor ocupa a posição de quarto maior entreposto do país. São cerca de 1.350 permissionários com grande variedade de produtos que recebem, em média, 10 mil pessoas por dia. E dá para entender porque o município é o maior polo de fruticultura do estado. A produção de manga e uva da região, sem contar as outras culturas, responde por um faturamento anual em torno de R$ 2 bilhões. Deste montante, R$ 440 milhões vêm dos frutos destinados à exportação.

O diretor atribui o resultado também à alta movimentação, já que o equipamento funciona 20 horas diariamente, quando inicia as atividades às 2h da manhã até às 22h. Nos domingos, o local mantém a operação por quase 24 horas.

“Todos os agricultores aqui que produzem na região comercializam no Mercado do Produtor, que hoje distribui para todo Brasil e em especial, às regiões Norte e Nordeste”, complementa.

Expansão

Proprietário do box Comercial de Frutas Filé da Bahia, Gerson Carneiro vende manga há mais de 20 anos. A época do melhor preço para quem distribui o produto é de janeiro a maio. E para quem compra, quando a fruta tem maior oferta, é a partir do mês que vem. “No geral, o pessoal vem mais do Maranhão, Piauí, Ceará, Paraíba e de Feira de Santana e Salvador, além das cidadezinhas ao redor da cidade. Minhas maiores vendas são na Bahia mesmo, porque é quem compra as mangas menores, o que chamamos de 'miúda'”.

Desde 1991, Gerson frequentava o mercado com o pai e, três anos depois, começou a trabalhar com a família. Antes da manga ele vendia melão.

“Meu pai sempre trabalhou nesses mercados. Ele veio conhecer Juazeiro, gostou e ficou aqui. E desde então, a gente trabalha com frutas”, completa.

Já Francisco Pereira é dono do box Tico da Uva. Por mês, ele comercializa 30 mil quilos da fruta. “Compro direto da roça. A melhor venda é justamente agora, de setembro a dezembro. A uva do Vale do São Francisco tem muitas variedades e qualidade de primeira, que não se tem aí fora. Além disso, a produção é o ano inteiro”.

No momento, todas as expectativas de expansão estão voltadas para a ampliação da estrutura do Mercado Produtor, como pontua o secretário da Agência de Desenvolvimento Econômico, Agricultura e Pecuária (Adeap), Carlos Neiva.

“O agronegócio é a matriz da nossa economia. Agora vamos caminhar para uma coisa muito maior. Estamos com um projeto de um novo centro agroalimentar com área dez vezes maior que o Mercado do Produtor, ou seja, vamos acrescentar na estrutura que já temos hoje, tudo que existe ali no entorno e nos seus distritos. Sem dúvida, isso vai colocar Juazeiro na ponta em volume financeiro, quando comparado a outros mercados do país”.

Potencial fruticultor

Um quarto de todas as riquezas geradas no estado vem do agro. A fruticultura torna Juazeiro maior polo baiano na produção de frutas. De acordo com dados da Superintendência de Estudos Econômicos (SEI), o produto interno bruto (PIB) do agronegócio cresceu de 4% no primeiro trimestre de 2021, isso sem falar na participação do setor na economia baiana que compreende cerca de 25%.

O secretário estadual da Agricultura, Pecuária, Irrigação, Pesca e Aquicultura (Seagri), João Carlos Oliveira, ressalta que, sozinho, o Mercado Produtor de Juazeiro gera 6 mil empregos diretos para o setor.

“Juazeiro é ponto de partida da comercialização desses produtos, além de ter um bom solo e contar com o uso das tecnologias mais avançadas possíveis. Fora todos esses fatores, o município tem água para ampliar a irrigação e muita área para expandir a fruticultura. É um mercado estratégico e de extrema importância para a economia do estado”, reforça o secretário.

Nenhum comentário