Publicidade

ANUNCIANTES

Mulher é suspeita de forjar câncer terminal para arrecadar R$ 50 mil em doação


Uma mulher é suspeita de fingir ter câncer para arrecadar R$ 50 mil em doações através de vaquinhas virtuais. De acordo com o telejornal “SBT Brasil”, a suspeita identificada como Else Kishner Iglesias está sendo investigada pela polícia do Rio de Janeiro após supostamente ter forjado o diagnóstico de câncer terminal e lúpus. Além disso, a mulher afirmava ter ainda ter passado por duas cirurgias de aneurisma.

Diversas pessoas se solidarizaram com os relatos da mulher e chegaram a se mobilizar para ajudá-la. Contudo, no início do mês de agosto passaram a surgir especulações sobre a veracidade da história contada por Else, isto porque a suspeita teria ido a um evento logo após supostamente ter passado 18 dias em coma. Chamou a atenção o fato de que na festa, a mulher estaria com uma ótima aparência.

O marido da suspeita foi o responsável pelos pedidos de doação em prol do suposto tratamento necessário para a recuperação da “paciente”. O casal chegou a apresentar até mesmo atestados médicos para comprovar os relatos. Em contrapartida, a polícia acabou confirmando que os documentos eram falsos.

“Pessoas de boa fé fizeram a vaquinha virtual, depositaram várias quantias para ela, para esse casal. Agora imagine uma pessoa que realmente precise, quem é que vai acreditar?”, pontuou o delegado Reginaldo Guilherme.

As investigações apontam ainda que a mulher é aposentada pela prefeitura do Rio de Janeiro devido a “problemas psiquiátricos”. De acordo com as apurações feitas até o momento, a suspeita nunca esteve internada ou em coma e o dinheiro arrecadado com as doações teria sido utilizado pelo casal com hospedagens em um hotel de luxo no Rio de Janeiro.

Nenhum comentário