Publicidade

ANUNCIANTES

https://www.edenevaldoalves.com.br/wp-content/uploads/2021/12/banner_900x100px_mais_luz.gif

Presidente do Bahia Bellintani assume responsabilidade após queda do Bahia: ‘Errei tentando acertar’

Após o Bahia perder para o Fortaleza e consumar o seu descenso para a Série B, o presidente do Bahia, Guilherme Bellintani, tomou a palavra para responder as perguntas da imprensa na Arena Castelão. Em seu discurso, o mandatário tricolor admitiu que errou e prometeu trabalho para recuperar o clube. Vale lembrar que o seu mandato é válido até o fim de 2023.

“Dentro das circunstâncias, algum nível de tranquilidade para recolocar o Bahia na rota. Nada do que eu disser vai tirar a tristeza que o torcedor tá passando. Eu errei tentando acertar, tomei decisões com base nas informações e recursos que eu tinha. Não foi suficiente para colocar a tristeza que coloquei em cada torcedor. Posso me comprometer em trabalhar para voltar a esse lugar que saímos”, disse.

“A responsabilidade é toda minha. Eu sou presidente do clube, as decisões são tomadas por mim. A decisão de cada uma das pessoas que estão é da minha responsabilidade”, completou.

Segundo Bellintani, uma sequência de erros causaram a queda do clube, entre elas, as mudanças feitas no comando do futebol no início do ano. Ele também citou o fato do clube montar um time sem recursos.

“A gente não pode fazer análise superficial e generalista. Nada do que eu falar tira minha responsabilidade. Mas, se a gente for olhar o filme que passa na cabeça, o grande erro não existiu. Foram vários erros sequenciados. Aquela mudança que a gente fez no final da temporada passada não surtiu efeito. Tínhamos um déficit grande no clube, montamos um time sem nenhum investimento. Justamente por uma responsabilidade financeira que precisaria ser tomada, depois de um dos piores anos financeiros. Tomamos uma decisão corajosa de não gastar um dinheiro que não tinha”, indicou.

Os erros seguidos da arbitragem também foram lembrados pelo presidente. Segundo ele, “coisas misteriosas” passaram na frente do clube neste ano. No entanto, ele voltou a reconhecer que precisava ter colocado um time melhor para o Brasileirão.

“Vimos uma sequência de erros de arbitragem, que foi um grande absurdo. Tivemos cinco pênaltis polêmicos, contando com o de hoje. É mais um na lista de polêmicas. Por outro lado, só teve um lance em benefício do Bahia, que foi o do Cuiabá. Por mais que eu não coloque a culpa na arbitragem, o Bahia foi prejudicado. O Bahia não jogou com times reservas que abandonaram o campeonato. O Bahia viu coisas misteriosas. Mas não quero me alongar. Eu tinha que ter montado um time mais competitivo”, destacou.

Questionado se vai ter condições de reerguer o Bahia, ele disse que vai seguir firme e que entende que fracassos fazem parte do processo.

“Aprendi nesse tempo de vida que ela não é feita só de sucessos. Aprendi muito na minha vida que os fracassos acontecem, decepcionam, machucam, doem, mas temos que entender que eles fazem parte da vida. É assim que vivo com meus problemas”, finalizou.

Nenhum comentário